Queen Hungarian Rhapsody, o veredito.

Fui ontem (com a rita) às Amoreiras, assistir à estreia em cinema do concerto dos Queen ao vivo em Budapeste em ’86 (ainda no tempo da ex-ussr), grande concerto, com algumas imagens inéditas, apenas de lamentar o som alto de mais e de fraca qualidade, até o DTSzinho aqui de casa se portava melhor. Valeu pela experiência de ver um concerto em cinema daquela que para mim é a maior banda de sempre.

Cheguei ontem a uma (brilhante) conclusão durante o concerto…

…sendo eu um indivíduo que teve o primeiro contato com os Queen em ’91 (com 9 anos), que infelizmente nunca teve o privilégio de ter tido a hipótese de assistir a um concerto ao vivo com o Freddie e sendo eu um indivíduo que se considera um grande fã da banda, todos aqueles vinis, todos aqueles cd’s, todos aqueles dvd’s, assistir aos concertos em 2005 com o Paul Rodgers ter ido o ano passado a Londres ver o Brian no Royal Albert Hall… enfim, tudo… tem apenas um objetivo que nunca conseguirei atingir, sentir aquela emoção, aquela adrenalina que (suponho eu) se sentiria ao ver o Freddie em palco ao vivo.

Só me resta continuar a ver os blurays e dvd’s e imaginar, como seria estar lá.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *