Arquivo de etiquetas: planear viagem

8 dias em Nova Iorque!!!

Em Novembro de 2011 recebi um e-mail da Lufthansa que informava que se comprássemos a viagem nos próximos 5 dias poderíamos usufruir do fantástico preço de 380€ em reservas até ao final de Março. Pensámos, repensámos, avaliámos os prós e os contras e pimbas: comprámos 2 bilhetes para o final de Março (para tentar fugir ao frio, o que não conseguimos) com destino a NEW YORK!

Com antecedência tratámos:
– Hotel (claro, está!);
New York Pass – 7 dias (compensa bastante se tiverem tempo e quiserem ver museus e tem fast track em montes de sítios, o que é uma grande vantagem);
ESTA visa (uma espécie de comunicação de entrada que tem que ser feita antes de ires para EUA);
– Bilhetes para o Hóquei no gelo;
Gray Line – 3 dias (a cidade é enorme e para ter uma visão geral o da cidade de uma ponta à outra é o melhor, nós fizemos os 3 possíveis: uppertown loop, downtown loop e o night loop no qual se atravessa ao anoitecer a ponte de Brooklyn, imperdível. O autocarro turístico vale só por este passeio!!!).

Dia 1 – Segunda
Partimos de Lisboa e com escala em Frankfurt de 6 horas. Chegados ao primeiro destino, pegámos em nós e ala almoçar à cidade. Demos uma voltinha no CBD, vimos o Banco Central Europeu (sempre importante), as fachadas típicas das casas na principal praça e voltámos para o aeroporto. Novo avião, mas desta vez com destino a NY. Chegámos ao aeroporto, uma fila enorme, mais de 45 min de espera para te apresentares junto do SEF, tirar uma fotografia, deixar impressões digitais e dizer onde vamos ficar.
Primeiro imprevisto: o airtrain não funcionava nesse dia.
Como resolvemos? Fomos numa espécie de táxi coletivo. Caríssimo, mas deixou-nos à porta do hotel, depois de dar mil voltas para deixar os outros ocupantes. Nós fomos os últimos.
(ahhhh, esqueci-me de dizer, o nosso hotel ficava em times square, centralíssimo, mas não era espetacular. Aliás, tivemos que mudar de quarto porque o primeiro era indescritível. Mas não queríamos ficar no quarto, o objetivo era estar o mais central possível para podermos aproveitar a cidade. Desenganem-se se pensam que foi barato).

Dia 2 – Terça
O jetlag funcionou eram 7h e já estávamos acordados. Tomámos banho e RUA!
Fomos levantar os cartões (gray line e NY pass) e começámos o passeio de autocarro para o sul da Ilha, Downtown loop.
– Empire State Building;
– Edifício da ONU;
– Grand Central Station;
– Biblioteca Pública de NY (Palavra de ordem: contorna o edifício e descansar no Bryant Park);
– Night Tour: Brooklyn Bridge;
– Subimos ao Rockefeller Center para aproveitar a vista (soberba a vista da cidade e do Empire State Building!!!);

           

Dia 3 – Quarta
Upper Town Loop (fomos conhecer a zona alta da cidade, contornando o central park)
Visitámos:
– Museu de História Natural;
– Guggeheim;
– Metropolitan Museam;

Dia 4 – Quinta
– Apanhámos um ferry para ver de perto a Estátua da Liberdade (não fomos à ilha porque a Estátua estava em remodelações e a vista é melhor de longe) e
– Ellis Island (Museu da Imigração);
– Fizemos a Brooklyn Brigde a pé;
– China Town, Korea Town, Little Italy, Soho … até Times Square pela Broadway

Dia 5 – Sexta
– The High Line (jardim suspenso construído numa antiga linha férrea);
– Passeio de barco à volta da ilha de Manhattan (fixe para se conhecer a diversidade da mesma) – Circle Line Cruise;
– Memorial do 11 de Setembro de 2001 (é gratuito, mas tem que se fazer reserva para evitar as enormes filas);
– Go, go, go Rangers! Madison square guarden (uma experiência brutal! Os cânticos, a ordem, o próprio jogo foi um espetáculo teatral)

Dia 6 – Sábado
– MOMA
– Visita aos estúdios de TV da NBC (estivemos no estúdio do dr. Oz! LOL)
– Momento consumista: Para ver: Saks Fifth Avenue, Bloomingdale’s. Para comprar: Century 21 (outlet), Macy’s;
– Passear pela cidade;

Dia 7 – Domingo
– Soho;
– Greenwich Village;
– Apple Store (aliás, visitámos 2: a mais famosa que é ao pé do central park e a da Grand Central Station).
– Cupcake da Magnolia Bakery, fabuloso, e eu nem sou lá grande fã dos bolinhos;
Morremos para a vida, estávamos estoirados!

           

           

Dia 8 – Segunda
– Andámos de bicicleta pelo Central Park (foi um bocado de desilusão porque há montes de sítios vedados aos ciclistas e nem se pode andar com a bike pela mão. Fomos chamados montes de vezes à atenção, eles são tão chatos com as regras! 🙁 )
– Fila para comprar bilhetes com desconto até 60% para a Broadway (TKTS) (desenganem-se se pensam que é barato, eles têm um esquema que é: vendem sempre o melhor bilhete que se encontra disponível naquele momento com o desconto, ou seja, não se pode escolher comprar o bilhete mais barato com o desconto. Compra-se o melhor e não o mais barato, naquele momento)
– Broadway – Phantom of the óphera (Brutal! Por favor, não me falem do La Féria! :P)

Dia 9 – Terça
– Tomámos o pequeno-almoço e fomos dar as últimas voltas por NY
– Bryant Park
– Por volta das 17h fomos para o Aeroporto

Sobrou tempo para palmilhar ruas e ruas cheias de lojas e marcas conhecidas por valores muito inferiores àqueles que pagamos aqui na Europa. All star, Levi’s, Hunter, Ugg’s, Croc, Timberland, malas, sapatos, enfim… Será escusado dizer que comprámos meia Manhattan… ahah

Tips / Dicas:
– De dia subir ao Empire State Building, à noite subir ao Rockfeller Center (e por quê? Porque do Empire State Building não se consegue ver o Empire State Building !)
– Comer o hambúrguer mais espetacular de todos: Shake and Shack! E eu não vou à bola com hamburguers;
– Levantar dinheiro é no Macdonalds! E por quê? Porque “só” cobram 0,99$ por levantamento (mais as taxas de câmbio e o levantamento no estrangeiro que o banco cobra).
– Considere-se comprar NY pass.
– Comer na rua é muito mais barato, desde fastfood até frutas e sumos, há de tudo!
– Levar muito espaço vazio na mala, para trazer cheio! Nós levámos 2 malas (uma pequena e uma grande e uma mochila) meias e trouxemos cheias…
– Adaptador para o material elétrico! MUITO IMPORTANTE! 🙂
– Fazer Reserva antecipada para ir ao Memorial do World Trade Center, apesar de ser gratuito, tem longas filas e quem tem a reserva de entrada feita é só andar (fast track)!